Pesquisar este blog

Carregando...

Grécia Antiga: Período Pré-Homérico


O período da história da Grécia Antiga denominado “pré-homérico”, na verdade aponta para elementos da pré-história grega. Situado entre 2000 a.C e 1200 a.C, o período pré-homérico remonta às origens do povo grego. É o período em que se desenvolveu a civilização egéia da qual se originaria os primeiros gregos. O termo “egéia” refere-se ao fato de essa civilização ter florescido nos domínios do Mar Egeu que se situa entre a Península Balcânica e a Ásia Menor, no interior do Mar Mediterrâneo.

A civilização egéia pode ser considerada una e dupla ao mesmo tempo, pois no período pré-homérico ela também é conhecida como civilização creto-micênica na medida em que essas duas civilizações se desenvolveram praticamente paralelamente com mútuas influencias. Na ilha de Creta, a maior do mediterrâneo oriental, a civilização cretense se beneficiou de planícies que só estavam disponíveis nessa ilha e que propiciavam de forma mais ampla a prática da agricultura sob um clima favorável. Creta mantinha um comércio ativo com o Egito, a Ásia Menor e as outras ilhas do Mar Egeu.

Embora a civilização cretense tenha ficado conhecida em parte por meio de relatos míticos, como a lenda do Minotauro, disseminados posteriormente ao período pré-homérico, a arqueologia revelou características de uma cultura primordial extremamente original e sedutora, onde a mulher possuía um papel importante e que muito provavelmente rejeitava a escravidão. Já a civilização civilização micênica ou ‘aquéia’, era formada pelos aqueus, povo do norte da Península Balcânica, e tinha seu centro na cidade de Micenas, situada na região da Argólida, região beneficiada por planícies férteis e por suas relações marítimas com Creta e as demais ilhas do Egeu. Os aqueus ficaram mais caracterizados pela belicosidade e pela austeridade de uma vida cotidiana mais dura em contraste com o refinamento artístico dos cretenses e seu apego ao bem viver.

O período pré-homérico, ou Idade do Bronze, ficou marcado pela superação da civilização cretense pela civilização micênica. O declínio de Creta e o progesso de Micenas se acentuou com a invasão de ordas de aqueus que saquearam a ilha, colocando fim a civilização cretense, embora os aqueus acabassem usurpando da herança cultural dos cretenses, sofrendo grande influência no âmbito artístico e religioso da civilização que haviam subjugado. Posteriormente, por volta do século XII a.C, dórios, um povo guerreiro oriundo do norte da Grécia, promoveu invasões que impuseram termo também à civilização micênica, compelindo aqueus, eólios e jônios a se deslocarem da Grécia Continental para as ilhas do Mar Egeu e litoral da Ásia Menor num processo conhecido como primeira diáspora grega.

Para um compreensão geral do período pré-homérico, é interessante observar a existência dessa dupla civilização formada por cretenses e micênicos, suas diferenças e características no plano social, político, econômico e cultural. Deve-se analisar o declínio de uma e o progresso de outra, e o ocaso de ambas através das invasões dóricas que promovem a primeira diáspora grega.

11 comentários:

Anônimo disse...

Ouvi comentários de certos autores que diziam que nossa civilização foi construída sobre uma pequeníssima parte (algo em torno dez por cento) de tudo do que restou da cultura clássica universal dos povos antigos, desde relatos de civilizações que desapareceram e se extinguiram sem deixar registros escritos apenas orais, até bibliotecas que guardavam boa parte do conhecimento adquirido (como a de Alexandria) que foi queimada, entre dezenas de outras que foram destruidas por povos conquistadores, devemos a cultura grega subseqüente que resistiu e perdurou boa parte do que temos hoje, em termos de cultura, arte, política e sociedade.
Pelo menos do ponto de vista ocidental, já que os árabes, orientais e indianos, preservaram melhor sua cultura e costumes, como é o caso da cultura védica que data de 8.000 anos.
Isso sem mencionar autores anteriores com Charles Fort que citam civilizações anteriores (duvidosas a princípio )que variam a de 8 até a 15.000 anos antes de cristo.

apollomagno

Anônimo disse...

radical :)

Anônimo disse...

muito bom o texto

Anônimo disse...

eu acabei de estudar sobre essa matéria mas a mais 4 períodos históricos da Grécia.

Anônimo disse...

que saco estuda

Anônimo disse...

crido saccccoooooooooo

Anônimo disse...

eu pamela aparecida de lima acho mto legal isso a prfessora marineide mandou o meu grupo da escola vir pesquisar sobre homerica.

Anônimo disse...

adorei esta materia pq, me ajudou, a aprerder mto sobre td q acontece la fora, sou pamela da cidade de mariluz da escola jose alfredo de almeida, aluna da prof marineide.....

Anônimo disse...

mt bacana :)

Anônimo disse...

que sono prfvr
façam para mim um resumo disso prfvr

Anelise Sagás disse...

Gente pedindo o resumo disso? Isso já é o resumo, aliás, o resumo do resumo. O texto já acaba não abordando alguns acontecimentos importantes do período como a chegada dos eólios e dos jônios em Micenas, e nem chega a comentar sobre a Guerra de Troia. Talvez a guerra esteja incluída em algum texto de uma página deste site sobre o Período Homérico ao falar sobre o poema épico de Ilíada, mas não podemos esquecer que a Ilíada não narra o verdadeiro motivo da guerra já que é contada por Homero de uma forma romântica, e o real acontecimento histórico é ocasionado por disputas comerciais marítimas. Mesmo se houver alguma página deste site falando sobre o Homérico e a guerra em Ilíada, a guerra deveria estar abordada aqui, pois aconteceu no período aqui abordado e não foi nem um pouco insignificante. Então pessoas, parem de comentar em anônimo que estão com sono e que querem resumo e estudem mais sobre o assunto em diversos sites, no fim vão acabar percebendo que o que vocês já tinham visto já estava tão resumido que "desapareceram" temas de extrema importância. Histórias grandiosas como essa vão além de 5 parágrafos em apenas uma página da web. Parem de pedir o resumo do que já está hiper-resumido e pesquisem mais sobre assunto, juntem, analisem, comparem, entendam e tirem suas próprias conclusões, isso além de ajudar no feitio de um belíssimo trabalho escolar, também ampliará seus conhecimentos.

Postar um comentário