Pesquisar este blog

Carregando...

Ortografia I


No novo acordo ortográfico o alfabeto passa a ter 26 letras, pois foram reintroduzidas as letras k, w e y. Tais letras, que, na verdade, não tinham desaparecido da maioria dos dicionários, são usadas na escrita de alguns símbolos (kg, w.c., km, entre outros) e na grafia de nomes e palavras estrangeiras (Willian, show, playground, kung fu, entre outras).

EMPREGO DO H:

1. No início de algumas palavras por causa da etimologia (origem) ou por tradição linguística. Exemplos: homem, humor, hóstia, hábito, honra, hipoteca, herança, harpa.

2. No final de certas interjeições. Exemplos: ah!, oh!, ih!

3. No interior de vocábulos, na formação dos dígrafos nh, ch, lh. Exemplos: cacho, alho, companhia.
NOTA: O nome próprio Bahia conserva o h por tradição histórica secular. Contudo, nos seus derivados não se usa o h. Exemplos: baiano, coco-da-baia, baianada.

4. Quando, em palavra composta, o segundo elemento, iniciado por h, se une ao primeiro por meio de hífen. Exemplos: pré-história, sobre-humano, anti-higiênico.
NOTA: Nas palavras sem hífen o h desaparece. Exemplos: reaver, desonesto, desumano.


EMPREGO DO S:

1. Na terminação ês, esa e isa dos vocábulos que indiquem origem, nacionalidade, posição social, título de nobreza ou ocupação feminina. Exemplos: francês, marquês, freguês, japonesa, marquesa, princesa, poetisa, profetisa.

2. Nos sufixos oso e osa formadores de adjetivos qualificativos. Exemplos: grandioso, formoso, maravilhoso, gostoso, horroroso.

3. Nos adjetivos terminados pelo sufixo ense, indicador de relação, procedência, origem. Exemplos: canadense, fluminense, rio-grandense.

4. Nas palavras em ase, ise ou ose procedentes do grego. Exemplos: frase, fase, osmose, glicose.

5. Nas palavras relacionadas com outras que já contem a letra s. Exemplos: freguesia (freguês), pesquisar (pesquisa), frisar (friso), paralisar/paralisação (paralisia).

6. Nos verbos derivados cujo sufixo é ar e cuja palavra primitiva já tenha letra s. Exemplos: avisar (aviso + ar), improvisar, alisar, pisar, arrasar.

7. Nos diminutivos em que já existe s no final da palavra. Exemplos: rosinha (rosa), paisinho (país), Luisinho (Luís).

8. Em todas as formas dos verbos pôr, querer e usar, bem como dos seus derivados. Exemplos: pus, puseste, repus, compôs, quis, quisemos, usou, usado.

9. Nas palavras relacionadas com verbos terminados em ergir e erter. Exemplos: submergir – submersão, reverter – reversão.

10. No s com valor de z depois de consoante. Exemplos: obséquio, trânsito, transação.

11. Depois de ditongo. Exemplos: coisa, pausa, lousa, maisena, Neusa, Sousa.

12. Correlações: verbos grafados com nd originam substantivos e adjetivos com ns, e grafados com pel originam palavras com puls. Exemplos: (nd – ns) expandir – expansão/expansivo, compreender – compreensão, ascender – ascensão; (pel – puls) impelir – impulsão/impulsivo, repelir – repulsão/repulsivo.

EMPREGO DO DÍGRAFO SS:

1. Verbos grafados com: ced , gred , prim , tir , ter originam substantivos e adjetivos com: cess, gress, press , ss , respectivamente. Exemplos: conceder – concessão, progredir – progressão, oprimir – opressão, discutir – discussão, submeter – submissão.

2. Na terminação do superlativo absoluto sintético. Exemplos: boníssimo, altíssimo, grandíssimo, amabilíssimo.

3. Nas terminações do modo subjuntivo. Exemplos: pegasse, gostasse, amasse, cantasse.

4. Na ligação entre um prefixo terminado em vogal e um elemento iniciado por s (desde que a regra não exija o hífen). Exemplos: mini + saia = minissaia, entre + safra = entressafra, pré + sentir = pressentir.

EMPREGO DO Z:

1. Nos nomes abstratos com sufixos ez, eza, derivados de adjetivos. Exemplos: certeza (certo), lucidez (lúcido), nudez (nu), leveza (leve), pobreza (pobre).

2. Nos verbos derivados com sufixo izar (desde que a palavra da qual derive não seja grafada com s: análise/analisar). Exemplos: profetizar, canalizar, industrializar, arborizar, civilizar.

3. Nos derivados em zal, zeiro, zinho, zito. Exemplos: cafezal, cafezeiro, cafezinho, cafezito, orfãzinha, irmãozinho.

4. Nos diminutivos nos quais não ocorra o s no final da palavra. Exemplos: pezinho, benzinho, chapeuzinho.

5. Nos vocábulos derivados de outros terminados em z. Exemplos: felizardo (feliz), enraizado (raiz), cruzeiro (cruz), apaziguado (paz), deslizar (deslize).

6. Nas palavras de origem arábica, oriental e italiana. Exemplos: azeite, bazar, vizir, gazeta, azáfama, ajeriza, bizantino.

2 comentários:

Anônimo disse...

Solicito a todos que acessem nosso site sobre o alfabeto da língua portuguesa. É ele:
www.alfabetosemamarras.org
Obrigado. José Perea Martins, Presidente da ONG Alfabeto sem amarras.

tamires disse...

muito bom

Postar um comentário