Pesquisar este blog

Carregando...

Formação das palavras


Os dois grandes processos de formação de palavras em português são a composição e a derivação. Dentre esses dois processos, a derivação é o mais usado para formar novos itens lexicais, sendo que, segundo pesquisas que abrangem línguas observadas no mundo inteiro, há uma preferência pela derivação por sufixação. São raras as línguas exclusivamente prefixais, mas muitas são exclusivamente sufixais, como o turco e o japonês.



COMPOSIÇÃO: processo por meio do qual se forma uma palavra pela união de dois ou mais vocábulos primitivos (ou vocábulos base). Dentre os tipos de composição temos:


  • Justaposição: a nova palavra formada não altera a estrutura fonética das palavras primitivas. Ex: guarda-chuva, arco-íris, boa-fé, vaga-lume, joão-ninguém, porta-malas, girassol, paraquedas, etc.



  • Aglutinação: a nova palavra formada altera a estrutura fonética das primitivas. Ex: planalto (planO + alto ® perde o “o”), fidalgo (fiLHO + dE+ algo ® perde o “lho” e o “e”), embora (em + bOA + Hora ® perde o “oa” e o “h”), você (voSSA + MERcê ® perde o “ssa” e o “cê”), etc.



DERIVAÇÃO: processo por meio do qual se forma uma nova palavra a partir de uma outra primitiva. Em português, os radicais servem de base para a adjunção de afixos e formação de novas palavras por meio da derivação (Os afixos são em número limitado. Na nossa língua, por exemplo, são pouco mais de cinqüenta prefixos e por volta de cento e quarenta sufixos). Levando em conta a posição dos afixos no radical, a derivação pode ser:


  • Prefixal (prefixação): ao radical, acrescenta-se um prefixo. Ex: CONter, Imoral, DESleal, etc.


  • Sufixal (sufixação): ao radical, acrescenta-se um sufixo. Ex: lealDADE, felizMENTE, meninINHO, etc.


  • Parassintética (parassíntese): ao radical, acrescenta-se simultaneamente um prefixo e um sufixo. Ex: EMpobrECER, DESalmADO, ENvergonhAR, etc.


  • Regressiva: há a alteração da estrutura fonética da palavra primitiva para a formação de uma derivada. Normalmente, ocorre de um verbo para um substantivo, formando o que chamamos de “substantivos deverbais”. Ex: Abalar ® abalo, afagar ® afago, comprar ® compra, alcançar ® alcance, sacar ® saque, etc.


  • Imprópria: a palavra muda de classe gramatical sem sofrer alteração na sua forma. Ex: cantar ® o cantar (de verbo a substantivo), leitão ® sr. Leitão (de substantivo comum a substantivo próprio), burro (de substantivo a adjetivo), etc.


* A rigor a derivação imprópria não deve ser incluída entre os processos de formação de palavras, pois se trata, na verdade, de um processo semântico e não morfológico.


OUTROS PROCESSOS:


·         Sigla: emprego das iniciais de várias palavras formando uma que as represente. Ex: ONU (Organização das Nações Unidas), NGB (Nomenclatura Gramatical Brasileira), MEC (Ministério da Educação e Cultura), etc.


·         Abreviação: forma reduzida com que podem ser apresentadas certas palavras. Ex: moto (motocicleta), foto (fotografia), auto (automóvel), cine (cinema), etc.


·         Onomatopéia: palavras formadas pela imitação de ruídos ou sons produzidos por animais. Ex: tique-taque, miar, cacarejar, reco-reco, etc.



·         Hibridismo: palavras formadas pela união de elementos pertencentes a línguas diferentes. Ex: automóvel (auto: grego + móvel: latim), lactômetro (lacto: latim + metro: grego), etc.

3 comentários:

Anônimo disse...

Adoro esse site!
Mas, gostaria de saber quando será publicado os assuntos sobre "Origem da Vida"?

Anônimo disse...

o site e muito bom mas acho muito resumido

Anônimo disse...

adorei!
explicaçoes clara e objetivas

Postar um comentário