Pesquisar este blog

Carregando...

Pronomes


Pessoas do discurso:

Quando dizemos “pessoas do discurso”, queremos designar uma das três pessoas gramaticais que podem aparecer em um ato de fala ou discurso:

PRIMEIRA: aquela que se refere à pessoa que fala eu, me, mim, meu...

SEGUNDA: aquela que se refere à pessoa com quem se fala tu, te, ti, teu.

TERCEIRA: aquela que se refere à pessoa (ou coisa) de quem se fala ele, ela, se, si, seu...

Obs.: Você, V. Exª, V. Sª, etc. são pronomes de segunda pessoa, pois indicam a pessoa com quem se fala. Entretanto, como formas gramaticais, comportam-se como se fossem de terceira pessoa, o que se nota pela forma gramatical das palavras que concordam com esses pronomes. Exemplo: Você sabe das suas condições.

Conceituação dos pronomes:

Pronome é a classe de palavras que, sem significado próprio, serve para apontar uma das três pessoas do discurso ou situar uma coisa em função delas.

Exemplo:Eu quero agradecer-te as palavras elogiosas”. Nessa frase, os pronomes eu e te designam respectivamente a pessoa que fala e a pessoa com quem se fala. Mas se pensarmos essa situação em um contexto específico, por exemplo, Paulo dizendo esta frase por telefone a João, então: “Eu (Paulo) quero agradecer-te (João) as palavras elogiosas. Contudo, se esta mesma frase for dita por João a Paulo, então, eu passa a designar João e te passa a designar Paulo. Isso confirma o que foi dito anteriormente, que o pronome não tem significação fixa

FLEXÃO: os pronomes sofrem flexão de gênero: masculino/feminino (meu, minha), número: singular/plural (meu, meus) e pessoa: primeira/segunda/terceira (meu, teu, seu).

SINTATICAMENTE, os pronomes podem funcionar como pronome adjetivo (ex. 1), quando modifica um substantivo, ou como pronome substantivo (ex. 2), quando desempenha função própria de substantivo.

Exemplo 1: Nenhum aluno se calou. (o sujeito "nenhum aluno" tem como núcleo o substantivo "aluno" e como palavra dependente o pronome adjetivo "nenhum").

Exemplo 2: Quando cheguei, ela se calou. (“ela” é o núcleo do sujeito da segunda oração e se trata de um pronome substantivo porque está substituindo um nome).

Pronomes Pessoais:

São aqueles que designam uma das três pessoas do discurso. Podem ser do caso reto, funcionando, na frase, como sujeito, ou do caso oblíquo, funcionando, na frase, como complemento. Os pronomes oblíquos poder ser oblíquos átonos – não têm acento tônico e dispensam preposição, ou oblíquos tônicos – são marcados com acento tônico e sempre precedidos de preposição.

NÚMERO
PESSOA
PRONOMES PESSOAIS RETOS
PRONOMES PESSOAIS OBLÍQUOS


Átonos
Tônicos

Singular
1ª pessoa
Eu
Me
Mim, comigo
2ª pessoa
Tu
Te
Ti, contigo
3ª pessoa
Ele, Ela
Se, o, a, lhe
Ele, ela, si, consigo

Plural
1ª pessoa
Nós
Nos
Nós, conosco
2ª pessoa
Vós
Vos
Vós, convosco
3ª pessoa
Eles, Elas
Se, os, as, lhes
Eles, elas, si, consigo







Formas O, LO e NO do pronome oblíquo:

Quando o pronome oblíquo da 3ª pessoa, que funciona como objeto direto, vem antes do verbo, apresenta-se sempre com as formas o, a, os, as. Ex.: Eles as trouxeram em casa./ Eu não o comprei.

Quando, porém, vem depois do verbo, ligando-se a ele por hífen, a sua forma depende da terminação do verbo.

1. Se a forma verbal terminar em vogal, empregam-se o, a, os, as. Ex.: Compro-as.

2. Se a forma verbal terminar em r, s ou z, suprimem-se essas consoantes e o pronome assume as formas lo, la, los, las. Ex.: Encontramo-la./ Não quero vendê-las.
O mesmo ocorre se o pronome vier posposto ao designativo eis ou aos pronomes nos e vos. Ex.: Ei-lo sorridente./ Não vo-lo direi.

3. Se a forma verbal terminar em ditongo nasal, o pronome assume as formas no, na, nos, nas. Ex.: Trouxeram-nas./ Dão-nos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário