Pesquisar este blog

Carregando...

Colocação pronominal II



CASOS OPCIONAIS

O pronome pode vir antes ou depois do verbo:

1. Com os pronomes pessoais. Exemplo: Ela disse-me assim/ Ela me disse assim; Eu procuro-o amanhã/ Eu o procuro amanhã; Nós recompusemo-nos/ Nós nos recompusemos (neste caso, por questões de eufonia, é aconselhável empregar o pronome antes do verbo).

2. Com o infinitivo que não faça parte de locução verbal. Exemplo: Sem os forçar a nada/ Sem forçá-los a nada; Até se chegar à solução/ Até chegar-se à solução; Depois de se pôr à disposição/ Depois de pôr-se à disposição; Por lhes trazer a fita/ Por trazer-lhes a fita.

Exceção: Não combine por e nem a com os pronomes o, os, a, as (utilize “por fazê-los”, ao invés de “por os fazer”, e “preferia morrer a deixá-la, ao invés de “a a deixar”).


LOCUÇÕES VERBAIS

1. Verbo auxiliar mais infinitivo:

a) Se não houver atração, o pronome fica depois do auxiliar ou do infinitivo. Exemplo: Quero dizer-lhe a verdade./ A moça deve-se resguardar/ A moça deve resguardar-se.

b) Se houver atração, o pronome fica antes do auxiliar ou depois do infinitivo. Exemplo: Não lhe quero dizer a verdade/ Não quero dizer-lhe a verdade; A moça jamais se precisava resguardar/ A moça jamais precisava resguardar-se.

2. Verbo auxiliar mais preposição e infinitivo:

a) Se não houver atração, o pronome fica depois da preposição ou do infinitivo. Exemplo: Deixou de procurá-lo/ Deixou de o procurar.

b) Se houver atração, o pronome fica antes do auxiliar ou depois do infinitivo. Exemplo: Não a deixou de procurar/ Não deixou de procurá-la.

Obs: A preferência, nestes casos, é para a ênclise.


3. Verbo auxiliar mais gerúndio:

a) Não havendo atração, o pronome fica depois do auxiliar ou do gerúndio. Exemplo: Ia-se desfazendo/ Ia desfazendo-se; Vinha dizendo-lhe a verdade; A festa estava-se realizando/ A festa estava realizando-se.

b) Havendo atração, o pronome fica apenas antes do auxiliar. Exemplo: Não lhe vinha dizendo a verdade./ Tudo se ia desfazendo./ Sabia que a festa se estava realizando naquele dia.

4. Verbo auxiliar mais particípio:

a) Não havendo atração, o pronome fica depois ou antes do auxiliar. Exemplo: Os chefes haviam-no recomendado/ Os chefes o haviam recomendado; O amigo tinha-lhe feito um favor/ O amigo lhe tinha feito um favor.

Obs.: No início da frase, ocorre apenas a mesóclise. Exemplo: Ter-lhe-ia dito algo desagradável?/ Dir-se-ia que não pretendia voltar.

b) Havendo atração, o pronome fica apenas antes do auxiliar. Exemplo: Quis saber por que o haviam recomendado./ O amigo também lhe tinha feito um favor./ Quem lhe teria dito algo desagradável?

ATENÇÃO: Em nenhuma hipótese o pronome pode estar depois do verbo no particípio, sendo, pois, absurdas formas como “dito-lhes”, “recomendado-o”, “feito-nos”, “ pedido-lhes”, etc.


ÚLTIMAS OBSERVAÇÕES:

1. As normas de atração ou não do pronome levam em conta a oração completa. Considere-se, por exemplo, o período: “Nunca, diga-se a propósito, lhe pedi favor algum” – o “nunca” atrai o “lhe” da oração principal (nunca lhe pedi), mas não o “se” da oração complementar (diga-se a propósito).

Outro exemplo: “O homem que anda muito na rua cansa-se mais” – o “se” fica depois do verbo porque não há nada que o atraia na oração principal, da qual faz parte (o homem cansa-se mais).

2. O “que” subtendido atrai o pronome como se estivesse expresso na frase. Exemplo: Peço-lhe me deixe sair (peço que me deixe sair).

3. Pronome depois do futuro do presente ou do pretérito: NÃO pode ocorrer em nenhuma hipótese. Estão, portanto, incorretas as formas: “teria-lhe dito”, “Faria-se o trabalho”, “poderia-se realizar”, “diria-se que ele estava atrasado”, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário