Pesquisar este blog

Carregando...

Modo indicativo: emprego





Indicativo
Presente
Amo/ Vendo/ Parto

Pretérito Imperfeito
Amava/ Vendia/ Partia

Pretérito Perfeito
Amou/ Vendeu/ Partiu

Pretérito Mais-que-perfeito
Amara/ Vendera/ Partira

Futuro do Presente
Amarei/ Venderei/ Partirei

Futuro do Pretérito
Amaria/ Venderia/ Partiria


Presente:


a)         Enuncia um fato atual, ou seja, simultâneo ao momento da fala. Exemplo: Agora está tudo limpo.

b)         Para indicar verdades científicas, dogmas, lei. Exemplo: A Terra gira em torno do próprio eixo.

c)          Para expressar ação habitual. Exemplo: Levanto cedo todos os dias.

d)         Para expressar um futuro próximo. Exemplo: Semana que vem nos vemos novamente.


Presente histórico: usado no lugar do Pretérito Perfeito para realçar tempos passados que são descritos como se ocorressem no momento da fala. Também é chamado de “presente narrativo”. Exemplo: O presidente recebe festivamente os campeões do
mundo.


Pretérito Imperfeito:


Designa um fato passado ainda não concluído, encerrando uma idéia de continuidade no tempo, duração, repetição. Para lembrar qual é esse tempo, basta prestar atenção no seu nome: imperfeito, ou seja, não perfeito, inacabado.

a)                  a) Expressar a idéia de duração. Exemplo: A mulher caminhava e falava.

b)                  b) Para denotar uma ação passada habitual ou repetida. Exemplo: Comia muito antes da cirurgia de redução do estômago./ Ia às missas todos os domingos.

c)                 c) Entre ações simultâneas, indica a que começou primeiro. Exemplo: Eles se beijavam quando cheguei./ Já amanhecia quando voltamos do baile.

d)        d) Emprega-se também no lugar do Futuro do Pretérito para expressar um fato que seria conseqüência certa de outro, mas que não ocorreu. Exemplo: Se me dessem uma oportunidade, eu salvava a firma.

e)             e) O verbo “ser” é usado no pretérito imperfeito, com sentido existencial, para situar vagamente no tempo contos, lendas, fábulas, etc. Exemplo: Era uma vez...



Pretérito Perfeito:


Há duas formas, a simples e a composta. Em português, a distinção entre elas é bastante nítida.

Simples: É usado para expressar um fato já terminado num tempo passado. Em outras palavras, a forma simples do Pretérito Perfeito denota uma ação completamente concluída no passado, afastando-se do presente. Exemplo: Quando estive em Buenos Aires comi uma típica “parrillada”.

Composto: É formado pelo Presente do Indicativo do verbo “ter” mais o particípio do verbo principal. Expressa um fato que começou no passado, mas que se prolonga até o presente. Em outras palavras, a forma composta do Pretérito Perfeito denota uma ação que se repete ou uma ação contínua, aproximando-se do presente. Exemplo: Tenho estudado cinco horas por dia./ Tenho escrito mais poemas que contos.

NOTA: O Pretérito Perfeito SIMPLES também pode ser usado para expressar repetição ou continuidade, porém, neste caso, é obrigatório o acompanhamento de algum advérbio ou locução adverbial (tais como: frequentemente, todos os dias, sempre, muitas vezes, etc.), já que tais idéias são dadas por eles e não pelo verbo.


Pretérito Mais-que-Perfeito:


Também tem duas formas: simples e composta, porém, estas não se diferem no emprego, razão pela qual não as separaremos nas próximas explicações.

*NOTA: Vale lembrar que a forma simples do Pretérito Mais-que-Perfeito já caiu em desuso no Brasil, sendo substituída pela forma composta.

a)           Este tempo verbal é usado para indicar uma ação passada que ocorreu anteriormente a outra ação também passada. Em outras palavras, entre duas ações passadas, o Pretérito Mais-que-Perfeito expressa o passado mais antigo. Exemplo: Cristina entregou-lhe o presente que comprara/ tinha comprado/ havia comprado.

b)           Na linguagem literária, pode ser empregado no lugar do Futuro do Pretérito e do Pretérito Imperfeito do Subjuntivo. Exemplo: “Que fora (=“seria”, futuro do pretérito) a vida, se nela não houvera (=“houvesse”, imperfeito do subjuntivo) lágrimas?” (Herculano).


Futuro do Presente:


Há duas formas: simples e composta.

Simples:

a)           Indica fatos certos ou prováveis posteriores ao momento em que se fala. Exemplo: Ela chegará em meia hora.

b)           Também pode exprimir probabilidade, dúvida, incerteza. Exemplo: Onde estará ele agora?/ Roberto virá?/ Ele terá seus vinte anos.


NOTA: Na língua falada, a forma simples do Futuro do Presente é raramente empregada, sendo, normalmente, substituída pela locução verbal: presente do indicativo do verbo ir + infinitivo do verbo principal. Exemplo: Vou chegar mais tarde./ Vou viajar no mês que vem.

*Também são usadas com valor de futuro locuções formadas por: verbo haver ou ter no presente do indicativo + preposição de + infinitivo. Exemplo: Já sei das bobagens que hei de ouvir na reunião de amanhã./ Temos de castigá-lo pela sua má conduta.

Composto: Futuro do Presente Simples dos verbos ter e haver + particípio.

a)          Para indicar que uma ação futura será concluída antes de outra. Exemplo: Antes que as contas vençam, já as terei pagado.

b)          Para exprimir a certeza de uma ação futura. Exemplo: Só a verdade prevalecerá, e nosso esforço não terá sido em vão.

c)          Para exprimir uma incerteza sobre fatos passados. Exemplo: Terá sido do presidente esta afirmação?/ Terá mesmo passado por lá?


Futuro do Pretérito:


Refere-se a um fato posterior a um dado momento já passado, ou seja, trata-se de um futuro dentro do passado. Pode ser simples ou composto.

Simples:

a)    Designa ações posteriores ao momento da fala. Exemplo: Depois de formada, ela se tornaria uma das mais sucedidas na carreira.

b)    Exprime incerteza, dúvida, probabilidade. Exemplo: Quem poderia ser aquela mulher?

c)    Forma polida de presente para expressar desejo. Exemplo: Gostaríamos de pedir uma informação.

d)    Em interrogativas para denotar surpresa ou admiração. Exemplo: Quem diria!

e)    Em afirmações condicionadas para expressar fatos sem probabilidade de realização. Exemplo: Se eu tivesse dinheiro, viajaria com vocês./ Se tivesse me ouvido, não estaria passando por isso agora.


Composto: Futuro do Pretérito de ter ou haver + particípio.

a)          Indicar que um fato poderia ter acontecido no passado mediante uma condição. Exemplo: Se eu tivesse dinheiro, teria viajado com vocês./ Se tivesse me ouvido, não teria passado por isso.

b)          Indicar a possibilidade de um fato passado. Exemplo: Quem sabe não teria sido uma grande atriz./ Teríamos vivido um grande amor, talvez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário