Pesquisar este blog

Carregando...

Verbo I


 
1.    Definição:

- É a palavra que, exprimindo ações, processos, estados, mudanças de estado e manifestação de fenômenos da natureza, pode fazer indicação de pessoa, tempo, modo e voz;

- Palavra de forma variável que exprime o que se passa, isto é, um acontecimento representado no tempo.

Exemplos: Um dia, Aparício desapareceu para sempre./ Como estavam velhos./ A vida é complicada./ Chove!

2.    As flexões verbais:

- O verbo apresenta as variações de número, de pessoa, de modo e de tempo.

2.1. Número:

Como as outras palavras variáveis, o verbo admite dois números: o singular e o plural. Dizemos que um verbo está no singular quando ele se refere a uma só pessoa ou coisa e, no plural, quando tem por sujeito mais de uma pessoa ou coisa:

Singular
Estudo
Estudas
Estuda
Plural
Estudamos
Estudais
Estudam


2.2. Pessoa:

O verbo possui três pessoas relacionadas diretamente com a pessoa gramatical que lhe serve de sujeito:

a) A primeira é aquela que fala e corresponde aos pronomes pessoais eu e nós. Exemplo: Eu estudo./ Nós estudamos.

b) A segunda é aquela a quem se fala e corresponde aos pronomes pessoais tu e vós. Exemplo: Tu estudas./ Vós estudais.

c) A terceira é aquela de quem se fala e corresponde aos pronomes pessoais ele, ela e eles, elas. Exemplo: Ele/ ela estuda./ Eles/ elas estudam.

2.3. Número x Pessoa:


Singular
1ª pessoa
Eu
2ª pessoa
Tu
3ª pessoa
Ele/ Ela

Plural
1ª pessoa
Nós
2ª pessoa
Vós
3ª pessoa
Eles/ Elas

2.4. Modo:

Os modos verbais indicam a atitude do falante (de certeza, de dúvida, de suposição, de ordem, de mando, etc.) em relação ao fato que enuncia ou ao conteúdo de seus enunciados. São três os modos verbais:

a) Indicativo: Com o modo indicativo exprime-se, em geral, uma ação ou estado considerados na sua realidade ou na sua certeza, ou seja, o conteúdo do enunciado é tomado pelo falante como certo, real. Exemplo: A Terra gira em torno do próprio eixo./ Se o cacique marchava, a tribo inteira o acompanhava.

b) Subjuntivo: Ao empregarmos o modo subjuntivo, encaramos a existência ou não de um fato como algo incerto, duvidoso, eventual ou, até mesmo, irreal. O subjuntivo denota que uma ação, ainda não realizada, é concebida como dependente de outra, expressa ou subtendida, daí o seu emprego em orações subordinadas. Esse modo verbal é muito usado para denotar hipótese, dúvida, concessão, desejo, vontade, sentimento, fato improvável; o conteúdo do enunciado é tomado pelo falante como duvidoso, hipotético, incerto em termos de probabilidade de ocorrência. Exemplo: Ainda que o morto se chamasse Abelardo, não seria o nosso.

c) Imperativo: O conteúdo do enunciado expressa uma atitude de mando, conselho, súplica. Exemplo: Faça imediatamente o que mandei. (imperativo afirmativo)/ Não faça imediatamente o que mandei. (imperativo negativo).

Atenção: Essas idéias relacionadas aos modos verbais, no entanto, não podem ser consideradas com rigidez, pois é possível:

- Usar o indicativo em situações hipotéticas. Exemplo: Se eu te ver na rua de novo, aumento o castigo!

- Usar o subjuntivo em situações reais. Exemplo: Como estivesse de bermuda, não o deixaram entrar.

- Efetuar pedidos ou ordens sem usar o imperativo. Exemplo: Você poderia me informar onde fica esta rua?/ Eu gostaria de falar com o Sr. Rocha.

2.5. Tempos:

Tempo é a variação que indica o momento em que se dá o fato expresso pelo verbo. Os três tempos naturais são o presente, o pretérito e o futuro, que designam, respectivamente, um fato ocorrido no momento em que se fala, antes do momento em que se fala e após o momento em que se fala.

a)    Presente:


- O momento do evento corresponde ao momento da enunciação. Exemplo: Vejo, naquela praça, uma criança que corre atrás de um cachorro.

- Para expressar ação habitual. Exemplo: Durante as férias, Eduardo viaja com os amigos.

- Para indicar algo que se realizará em um futuro próximo e certo. Exemplo: Parto para o Rio amanhã.

- Para a afirmação de verdade. Exemplo: Os homens são mortais.

b)    Pretérito:

- O momento do evento é anterior ao momento da fala. Exemplo: Quando era criança, Eduardo sempre nadava no riozinho da fazenda de seu avô.

c)    Futuro:

- O momento do evento é posterior ao momento da fala. Exemplo: Tenho certeza de que comprarei um carro.

2.7. Aspecto verbal:

O momento da ocorrência do processo verbal é expresso, como vimos, pelo tempo, mas para marcar as gradações desse tempo, ou o ponto de vista do qual o enunciador considera a ação expresso pelo verbo, temos o aspecto. Por meio deste, o locutor pode considerar uma ação como concluída, observada no seu término, ou como não concluída, observada na sua repetição. No português, esta distinção é claramente observada nas formas verbais classificadas como “perfeitas” e “mais-que-perfeitas”, de um lado, e as “imperfeitas” de outro.

- Aspecto perfeito: ação verbal concluída. Exemplo: Ela dormiu no hotel.

- Aspecto imperfeito: ação se estende por um período. Exemplo: Ela dorme no hotel durante a semana.

- Aspecto incoativo: ação verbal considerada em sua fase inicial. Exemplo: Comecei a ler Dom casmurro.

- Aspecto conclusivo: ação verbal observada em sua fase final. Exemplo: Acabei de ler Dom casmurro.


Um comentário:

DuduBr01 disse...

muito bom ! gostei muito ! me ajudou na prova de gramatica ! 5 serie

Postar um comentário