Pesquisar este blog

Emprego do substantivo nas subordinadas

Como já vimos, o subjuntivo é, por excelência, o modo das orações subordinadas, sendo empregado nas subordinadas substantivas, adjetivas e adverbiais.

• Nas subordinadas substantivas:

Usa-se o subjuntivo quando a oração principal exprimir:

a) Vontades, desejos, comandos. Exemplos: Não quero que pense mal de mim./ Esperava que tudo acabasse bem.

b) Dúvida quanto à realidade do que se fala. Exemplo: Não acredito que ele venha.

• Nas subordinadas adjetivas:

O subjuntivo deve ser empregado nas orações adjetivas que exprimirem:

a) Um fim que se pretende alcançar, uma conseqüência. Exemplo: Queriam encontrar um trunfo novo que mudasse o destino das eleições.

b) Um fato improvável. Exemplo: Não havia ninguém que conseguisse convencê-lo do contrário.

c) Uma hipótese. Exemplo: Queria apenas um pedaço de terra onde pudesse refazer a vida.

• Nas subordinadas adverbiais:

a) Causais, que negam a ideia de causa (não que, não porque). Exemplos: Não podia me casar com ele, não que não o amasse, mas ele já era casado.

b) Concessivas. Exemplo: Ainda que comprovem, não acredito no que dizem.

c) Finais. Exemplo: Abdicou de sua parte para que o filho pudesse se saciar.

d) Temporais, que marcam anterioridade. Exemplo: Entre logo, antes que alguém o veja aqui.

e) Comparativas, iniciadas pela hipotética como se. Exemplo: Fala como se fosse o dono da verdade e da razão.

f) Condicionais, em que a condição é irrealizável ou hipotética. Exemplo: Se eu pudesse voltar aos meus vinte anos com a cabeça que tenho hoje, faria tudo diferente.

g) Consecutivas. Exemplo: O cargo era muito bom para que eu recusasse.

Um comentário:

Anônimo disse...

......só pra "concurseiros"

Postar um comentário