Pesquisar este blog

Carregando...

Reações de óxido-redução

Se você já leu os últimos tópicos de química aqui do QI, relacionados ao número de oxidação e ao seu cálculo, não pode deixar de ler este aqui.
Trata-se do que realmente se faz com aquele conhecimento todo. A partir de então, vamos entender porque alguns elementos químicos sofrem variação do Nox.
Nas ligações covalentes, por exemplo, quando temos a combinação de elementos de diferentes posições na seqüência de eletronegatividade (lembra¿!), o par de elétrons que será compartilhado tende a estar mais próximo do elemento mais eletronegativo, como é o caso do ácido clorídrico (HCl):
Reparem que, na reação acima, tanto o hidrogênio quanto o cloro, ao serem combinados, saíram de sua estabilidade eletrostática e ganharam uma carga, pois o cloro ficou negativo (nox = -1) ao ‘puxar’ para si, com mais intensidade que o hidrogênio, o elétron compartilhado. Por isso, o hidrogênio fica carregado positivamente (nox = +1).
Viu como num passe de mágica alguns elementos da tabela periódica sofrem variação do nox, dependendo de com quem são combinados? É mais ou menos aquela velha história do amigo malandro, que, quando está a fim de uma menina que gosta de sertanejo, aprende a dançar 2 pra cá, 2 pra lá e começa a cantar que nem o Fernando e Sorocaba; mas que quando descobre que o que ela curte mesmo é andar de skate nos finais de semana, resolve trocar o par de botas por um tênis de skatista.
Esse novo Nox, então, é a carga que surge quando os elementos químicos estão combinados em uma substância ou composto. Para conseguir identificar o nox desses elementos que variam, será imprescindível que você conheça as regras práticas para encontrar o nox fixo de alguns elementos, disponíveis no tópico anterior.

Agora vamos ao que realmente nos interessa!

Uma reação de óxido-redução ocorre quando um ou mais elementos sofrem alterações em seus números de oxidação durante uma reação química, ou seja, são reações que envolvem troca de elétrons entre diferentes espécies químicas. Aquela história de que falávamos do amigo que a cada paquera adota um estilo diferente...
Veja, ele, o MAGnésio, um cara sólido, que era um zero à esquerda, conheceu a oXXigênius – gás, e de repente, não mais que de repente, virou um Magnésio Nox positivo... e ela, saiu da neutralidade e assumiu o posto de -2.
De onde tiramos esses números? Simples! Como você viu no tópico passado, o nox do oxigênio, na maioria dos compostos, é -2. Você também deve ter visto que a soma dos nox de cada elemento em um composto é igual a zero. Sendo assim temos: 1 átomo de O (-2) + 1 átomo de Mg (x) = 0. Então, -2 + x = 0  x = +2. Portanto, nox do Mg neste composto é +2.

Vejamos outro exemplo: a combustão do carvão.

Nesta reação temos 2 átomos de O (nox -2), então nossa equação fica assim:
Agora, se prestar atenção na variação de nox de cada elemento vai notar que, algebricamente, o nox do carbono aumenta (de 0 para +4) e o do oxigênio diminui (de 0 para -2). Por isso, dizemos que o carbono sofre oxidação, e o oxigênio, redução.
Nesse sentido, podemos dizer que a oxidação do carbono foi provocada pelo oxigênio e que a redução do oxigênio foi provocada pelo carbono. Neste caso, o carbono é o agente redutor e o oxigênio o agente oxidante.
Resumindo, o agente redutor é o que oxida, ou seja, aumenta o nox; e o agente oxidante é o que reduz, ou seja, diminui o nox.


Em outras palavras,

Oxidação: nada mais é do que aumentar o número de Nox. O que acontece porque o elemento cede elétrons. Sofre uma oxiDAção.
Redução: o número de Nox diminui. Sofreu REdução. O elemento, portanto, recebeu elétrons.
O elemento que sofreu oxidação, na verdade, é o agente redutor, uma vez que seus elétrons foram responsáveis por reduzir o Nox do outro composto.
Já o outro agente (não o Daniel Craig do 007), o agente oxidante, recebe esse nome porque, ao receber os elétrons do outro elemento, deixou-o oxidado.

Entendeu¿! Essa é a fatídica reação de óxido-redução. Vejamos mais exemplos!

O ferro só é encontrado na natureza em forma de minérios, que na verdade são óxidos. Exemplo: Hematita (Fe2O3), Magnetita (Fe3O4), Limonita (FeO(OH)), Siderita (FeCO3), Pirita (FeS2) e a Ilmenita (FeTiO3). Tais óxidos, ou minérios de ferro, passam por reações de oxido-redução no alto-forno, na presença de coque e carbonato de cálcio (CaCO3), para, no final de um longo processo, ser obtido o ferro puro.

2 comentários:

Anônimo disse...

Legal!!

Anônimo disse...

Vá para o caralho

Postar um comentário