Pesquisar este blog

Carregando...

Equilíbrio iônico

Para você que vem acompanhando os tópicos de química do QI e já sabe o que é equilíbrio molecular, entender o equilíbrio iônico será muito fácil! Primeiro você deve ter em mente que a diferença do equilíbrio molecular para o equilíbrio iônico é que neste há a participação de íons.

Vejamos como acontece a ionização do ácido acético:


O ácido acético é colocado em solução aquosa, produzindo hidroxônio (íon H+ + água) e íon acetato. Se aplicarmos a constante de equilíbrio Kc, teremos:

Como a concentração da água é praticamente constante, o produto Kc x H2O também será uma constante, que chamaremos de constante de ionização (Ki). Portanto, nossa constante de ionização será:
*A constante de ionização dos ácidos é representada por Ka e a constante de ionização das bases por Kb.

Grau de ionização:

A dissociação de íons em determinada substância dificilmente será total. Um ácido é considerado forte, por exemplo, quando ele, em solução aquosa, é capaz de dissociar uma grande quantidade de íons. Por outro lado, um ácido será fraco quando ele, em solução aquosa, dissociar pequena quantidade de íons.

Como você já deve ter notado, a dissociação de íons em soluções aquosas depende do grau de ionização da substância.

Ao colocar-se 1 mol de HCl em 1 litro de água, verifica-se que para cada 1000 moléculas de HCl dissolvidas, 920 sofrem ionização e 80 permanecem sem se ionizar. Assim, podemos calcular o grau de ionização (alfa) do HCl pela razão:
O grau de ionização do HCl será, portanto: 920/1000 = 0,92 = 92%. Disso podemos concluir que o HCl é um eletrólito forte.

Se chamarmos a quantidade de mols dissolvida de M, teremos então que:
Neste caso, podemos considerar o seguinte equilíbrio:
Força dos Hidrácitos e Oxiácidos:

Para sabermos se um oxiácido é forte, moderado ou fraco, criamos um número “n”, que será igual ao número de oxigênio menos o número de hidrogênios ionizáveis, ou seja:
n = nº átomos de O – nº átomos H ionizáveis

Dessa forma, teremos:


Equilíbrio de ácidos fracos:

Considerando um monoáxido fraco hipotético HA, que em meio aquoso se dissocia em H+ + A-, teremos que sua constante de ionização será:


Como o monoácido é fraco, alfa será menor que 5% (0,05), ou seja, muito pequeno. Neste caso 1 - alfa será aproximadamente 1.

Chegamos então a uma fórmula mais simplificada para a constante de equilíbrio dos ácidos fracos:
Exercício:

Sabe-se que o vinagre (ácido acético) tem Ka = 1,8 . 10-5. Se considerarmos uma solução de 0,5M deste ácido, qual será o seu grau de ionização? E a [H+]?

Resposta: o vinagre é um ácido fraco. Então, teremos:

Agora vamos à [H+].

LEI DA DILUIÇÃO DE OSTWALD
É fácil chegar a esta constatação. Lembre que a água é a responsável por promover a ionização... agora pense bem: se diminuirmos a quantidade de água, teremos uma solução mais concentrada e menores chances dos íons se dissociarem. Portanto, se aumentarmos a concentração, diminuímos o grau de ionização.

Por outro lado, se aumentarmos a quantidade de água, teremos uma solução mais diluída e aumentaremos as chances dos íons se dissociarem. Neste caso, a concentração diminui e o grau de ionização aumenta.

Você já deve ter notado que a concentração da solução e o grau de ionização são grandezas inversamente proporcionais. Isso pode ser facilmente confirmado pela fórmula da constante de ionização dos ácidos fracos:
Como Ka é constante (pois só varia com a temperatura), se M aumenta, alfa tem que diminuir, ou vice-versa.

3 comentários:

Anônimo disse...

mt legal seu blog
pena q ta uma bosta um coco
mas eu gostei um pouco da parte q fala sobre equilibrio ionico
mas o assunto q vc abordou sobro equilibrio ionico ta uma merda
se quer postar coisa ruim num posta nao animal

Vivii disse...

Ótima explicação! Adorei o blog!

And. disse...

otima explicação!!!

Postar um comentário