Pesquisar este blog

Carregando...

Sujeito

Não temos uma definição precisa e completa para o sujeito, por isso elencamos três definições, a fim de abrangermos as diferentes tentativas de definir este termo da oração:

1. O sujeito é aquele com o qual concorda, em número e pessoa, o verbo da oração;
2. É a entidade sobre a qual se afirma ou nega algo;
3. A entidade que controla uma determinada ação ou posição, ou sofre um determinado processo ou estado.

Exemplo:

a. João guarda seu dinheiro no banco. (posição)
b. O dinheiro de João está no banco. (estado)
c. João correu a maratona em três horas. (ação)
d. A maçã caiu da árvore. (processo)

O sujeito pode ser composto por vários elementos, porém, ele sempre terá um núcleo, uma palavra principal que encerra a essência de sua significação. Exemplos:

Os seus cabelos compridos são minha perdição. (núcleo do sujeito: cabelos)
Aquela pequena menina surpreendeu a todos. (núcleo do sujeito: menina)

O núcleo do sujeito pode ser constituído de um substantivo, de um adjetivo, de um numeral, de um verbo e/ou de um pronome. Exemplos:

a) O medo salvou-lhe a vida. (núcleo: medo - substantivo)
b) Os medrosos fugiram. (núcleo: medrosos - adjetivo)
c) Meus filhos não me respeitam. (núcleo: filhos – substantivo)
d) Os meus respeitam-me. (núcleo: meus – pronome)
e) Errar é humano. (núcleo: errar – verbo)
f) Os dois estão errados. (núcleo: dois – numeral).

Tipos de sujeito:

O sujeito pode ser classificado na oração como simples, composto, oculto, indeterminado ou inexistente.

1. Sujeito Simples: é aquele que possui apenas um núcleo. Exemplos:

João comprou uma bicicleta.
As flores murcharam.

2. Sujeito Composto: é aquele que possui mais de um núcleo. Exemplos:

João e Maria perderam-se na floresta. (núcleos: João, Maria)
O rapaz e a moça casaram-se sem festa. (núcleos: rapaz, moça)

3. Sujeito Oculto: é aquele que não está materialmente expresso na oração, mas que pode ser identificado pela desinência verbal ou pela presença do sujeito em outra oração. Exemplos:

Saímos todos juntos. (sujeito oculto nós, indicado pela desinência -mos)
Fátima correu muito, / conseguiu fugir / e pôs-se a pensar. (sujeito oculto da última oração é Fátima, determinado pela primeira oração).

4. Sujeito Indeterminado: O verbo da oração não se refere a uma pessoa determinada, ou por se desconhecer quem executa a ação, ou por não haver interesse no seu conhecimento.
Neste caso, o verbo vem colocado na 3ª pessoa do plural ou na 3ª pessoa do singular com o pronome “-se”. Exemplos:

Anunciaram o resultado do exame de seleção. (sujeito indeterminado com verbo na 3ª pessoa do plural)
Vive-se bem aqui. (sujeito indeterminado com verbo na 3ª pessoa do singular + -se)

5. Sujeito Inexistente ou Oração sem sujeito: neste tipo de oração, o sujeito não existe. Sendo assim, o que nos interessa neste tipo de construção é o processo verbal em si, já que ele não pode ser atribuído a nenhum ser.

Os verbos utilizados neste tipo de construção de oração sem sujeito são os VERBOS IMPESSOAIS.

Estes verbos são:

• Aqueles que denotam fenômenos da natureza;
Ex.: Chove muito em janeiro.
Amanheceu a chover.

• “Haver” no sentido de “existir”;
Ex.: Ainda há flores no jardim.
Havia três homens escondidos no porão.

• “Haver”, “fazer” e “ir” em indicações de tempo decorrido;
Ex.: Cantava profissionalmente há muitos anos.
Faz trinta anos que estamos casados.
Vai para uns quinze anos que escrevi meu livro.

• “Ser” e/ou “estar” na indicação de tempo em geral ou fenômenos meteorológicos.
Ex.: Era primavera quando nos conhecemos.
São quatro horas.
É uma hora.
Está muito calor hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário