Pesquisar este blog

Carregando...

Orações Subordinadas Adverbiais

As orações subordinadas adverbiais são aquelas que funcionam como adjunto adverbial de outras orações. Essas orações vêm introduzidas por uma conjunção subordinativa. De acordo com esta conjunção (e com a relação que ela estabelece entre as orações), podemos classificar as subordinadas adverbiais em causais, concessivas, condicionais, finais, temporais, consecutivas, comparativas, conformativas e proporcionais.

1. Orações subordinadas adverbiais causais:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa causal, fazendo com que a oração subordinada represente uma causa para o que foi dito na oração principal. Exemplos:
Não foi ao baile porque não tinha dinheiro.
Como estava tarde não pude esperá-lo.
Vamos acender a lareira, que a noite está muito fria.

2. Orações subordinadas adverbiais concessivas:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa concessiva, fazendo com que a oração subordinada represente uma concessão a um fato contraditório presente na oração principal. Em outras palavras, a subordinada adverbial concessiva apresenta-se como um obstáculo para o que é proposto na oração principal, mas, no entanto, não impede sua realização, fazendo, portanto, uma concessão à oração principal, aceitando-a. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas concessivas: embora, apesar de que, ainda que, se bem que, conquanto, por mais que, posto que, etc. Exemplos:
Embora estivesse doente, trabalhava muito.
Apesar de terem treinado muito, não venceram a competição.
Mesmo estando muito atarefado, ele foi ao passeio.

3. Orações subordinadas adverbiais condicionais:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa condicional, fazendo com que a oração subordinada represente uma condição para o que foi dito na oração principal. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas condicionais: se, salvo se, caso, contanto que, desde que, a menos que, etc. Exemplos:
Tudo vale a pena/ Se a alma não é pequena. (F. Pessoa)
Se você estivesse lá, nada disso teria acontecido.
Caso você venha, deixarei a chave na portaria.

4. Orações subordinadas adverbiais finais:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa final, fazendo com que a oração principal represente uma finalidade, um motivo, para o que foi dito na oração principal. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas finais: a fim de que, para que, que (= para que), porque (= para que), etc. Exemplos:
Trouxe o sapato e o traje para que ele experimente.
Fiz tudo para que você voltasse.
Vigiai e orai, porque não entreis em tentação.

5. Orações subordinadas adverbiais temporais:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa temporal, fazendo com que a oração subordinada represente uma circunstância de tempo. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas temporais: quando, enquanto, logo que, assim que, depois que, até que, apenas, mal, que (=quando), etc. Exemplos:
Sempre que você vem, ela prepara a casa.
Assim que mudar a estação, sairei de férias.
Quando você voltar, estarei de braços abertos.

6. Orações subordinadas adverbiais consecutivas:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa consecutiva, fazendo com que a oração subordinada represente uma consequência do que foi dito na oração principal. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas consecutivas: (tanto) que, (tão...) que, (de tal forma) que, etc. Exemplos:
Falou tanto que ficou sem voz.
Argumentou brilhantemente, de tal forma que não ficou ninguém sem ser convencido.
Deus, ó Deus, onde estás que não respondes?

7. Orações subordinadas adverbiais comparativas:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa comparativa, fazendo com que a oração subordinada expresse uma comparação (de igualdade, inferioridade ou superioridade) em relação à oração principal. Uma das particularidades das adverbiais comparativas é a elipse do verbo. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas comparativas: tal, como, quanto, (mais...) do que, (menos...) do que, (tanto...) quanto, etc. Exemplos:
Ela era mais bonita do que a irmã.
Você desenha tão bem quanto eu.
Escreve tão bem quanto lê.

8. Orações subordinadas adverbiais conformativas:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa conformativa, fazendo com que a oração principal esteja em conformidade, adequação, à oração principal. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas conformativas: como, conforme, segundo, etc. Exemplos:
Tomou a medicação conforme o prescrito.
Segundo fui informada, o show foi cancelado.
A redação deve ser redigida consoante a norma culta da língua portuguesa.

9. Orações subordinadas adverbiais proporcionais:

São aquelas cuja conjunção é subordinativa proporcional, fazendo com que a oração subordinada expresse uma proporcionalidade em relação à ideia formulada na oração principal. Conjunções ou locuções conjuntivas subortinativas proporcionais: à proporção que, à medida que, quanto mais... tanto menos, etc. As estruturas do tipo tanto mais... tanto menos são separadas nas orações: uma parte na principal, outra parte na subordinada. Exemplos:
À proporção que o tempo passa, tudo vai voltando ao normal.
Quanto mais falava, mais se confundia.
Quanto menos nos preocupamos, tanto mais nos livramos do estresse.

11 comentários:

Anônimo disse...

:)

Anônimo disse...

Muito bom!

Anônimo disse...

otimo o site ...recomendo.:

Angela disse...

meldels

Anônimo disse...

muito bom

Anônimo disse...

vlw ai gente eu consegui muito nota com essa explicação tirei nota boa na prova

coisas de lara disse...

OO mto obrigado! Me ajudou bastante.

Anônimo disse...

Muito Obrigado! Me esclareceu muita coisa!

Anônimo disse...

Muito boa a explicação, adorei!

Anônimo disse...

muito bom!!!!

Anônimo disse...

otimoo!

Postar um comentário