Pesquisar este blog

Carregando...

Bases

Se por um lado o nome “ácido” nos é bastante familiar, o nome “base”, por outro, não é tão conhecido. No entanto, assim como os ácidos, as bases estão muito presentes no nosso dia-a-dia. O sabão que lava a sua roupa, por exemplo, é feito com uma base chamada hidróxido de sódio (NaOH), conhecida comercialmente como soda cáustica. Esta mesma base também é usada nos produtos desentupidores de pias, ralos e vasos. Quando você está com azia, queimação no estômago (ou seja, com excesso de ácido clorídrico no estômago), você pode tomar leite de magnésio, que é uma base (um antiácido): o hidróxido de magnésio [Mg(OH)2]. Para levantar as paredes da sua casa, seu pedreiro certamente utilizou na mistura da argamassa um pó branco, conhecido comercialmente como cal hidratada, sendo cientificamente chamado hidróxido de cálcio [Ca(OH)2]: trata-se de uma base. A limpeza de sua casa também depende de uma base chamada hidróxido de amônio (NH4OH), o famoso amoníaco usado nos produtos de limpeza.

Viu como no fundo, no fundo você sabe o que são bases?!

Mas agora vamos conceituá-las quimicamente. Segundo a definição de Arrhenius:

Base é toda substância que, dissolvida em água, se dissocia, fornecendo como ânion exclusivamente íons OH-, também chamado de hidroxila.

Exemplos:

Mas, novamente (assim como vimos com os ácidos), a definição de Arrhenius é limitadora, pois não comporta todos os tipos de base. A teoria de Arrhenius não apresenta, por exemplo, a basicidade da amônia (NH3), que não contém hidroxila (OH-). Neste caso, a definição de Bronsted é mais precisa, dado que é mais geral. Para Bronsted, base é qualquer substância que pode aceitar um próton. Em outras palavras, segundo Bronsted, enquanto os ácidos são espécies doadoras de prótons, as bases são espécies receptoras de prótons.

Como você já deve ter percebido pelos exemplos, as bases são compostos iônicos (você já viu que os ácidos são compostos covalentes). No estado sólido, elas não conduzem eletricidade, pois os íons estão presos. Mas elas podem transmitir corrente elétrica se estiverem em estado fundido ou em solução aquosa, pois nestas condições ocorre a dissociação iônica, que gerará íons livres (você deve se lembrar: quanto maior a quantidade de íons livres na solução, maior será sua condutividade elétrica).

As bases, com a única exceção do hidróxido de amônio (NH4OH), são compostas por um metal que é ligado a um íon hidroxila. Podemos, então, representar a dissociação iônica de uma base pela seguinte fórmula geral, na qual “C” representa o metal e “X” o número de hidroxilas que, por sua vez, corresponderá ao nox do metal:
• Propriedades gerais das bases:

1. Possuem sabor amargo ou adstringente (ou seja, que “amarra” a boca, assim como acontece quando comemos uma banana ainda verde);
2. Causam mudança de cor nos indicadores ácido-base;
3. Quando fundidos ou em solução aquosa, conduzem corrente elétrica;
4. São, em sua maioria, corrosivos;
5. Reagem com metais.
6. Funcionam como antiácidos, pois podem reagir com um ácido formando sal e água. A este tipo de reação chamamos Reação de Neutralização. Mas esta será vista detalhadamente em tópico específico.

• Classificação das bases:

De acordo com o número de hidroxilas em sua fórmula, as bases podem ser classificadas em:

1. Monobase: uma hidroxila. Ex: AgOH.
2. Dibase: duas hidroxilas. Ex: Mg(OH)2.
3. Tribase: três hidroxilas. Ex: Fe(OH)3.
4. Tetrabase: quatro hidroxilas. Ex: Mn(OH)4.


Descontraindo...
Aprenda com o vídeo abaixo uma musiquinha que vai ajudá-lo a lembrar quais são as propriedades dos ácidos e das bases:




Um comentário:

Brenda Lima. disse...

show, show, shooow, anotei até a musiquinha, e já aprendii *-*

Postar um comentário