Pesquisar este blog

Carregando...

Angiospermas

As angiospermas são o grupo de plantas mais desenvolvidas e que apresentam como característica marcante a presença de flores e frutos protegendo as sementes. Hoje em dia, representam a maioria das plantas que temos em casa e que vemos por aí.

Os componentes principais de uma angiosperma são as raízes (servem para a fixação e para a absorção de água e sais minerais), o tronco (órgão responsável pela formação dos galhos e folhas, além de sustentar os tecidos condutores) e as folhas (local onde ocorre a fotossíntese). As flores aparecem anualmente e é nelas que ocorre a reprodução sexuada dessas plantas.

As angiospermas também possuem ciclo de vida haplodiplobionte, como as briófitas, pteridófitas e gimnospermas. Nelas, a geração diplóide é a duradoura, sendo o esporófito muito mais complexo que o gametófito (para mais explicações sobre ciclo de vida, acesse briófitas).

Na parte masculina do esporófito, a antera (para mais explicações, acesse flores) produz micróporos (n) por meiose que germinam no esporângio, formando os gametófitos masculinos, ou microprótalos, ou grãos de pólen. Os grãos de pólen possuem apenas duas células, uma que formará o tubo polínico e outra que dará origem a dois núcleos gaméticos.

Na parte feminina do esporófito, os megásporos (n) são produzidos por meiose já no ovário, e sofrem sucessivas divisões para formar formam um gametófito de apenas sete células (também chamado de saco embrionário), incluindo uma oosfera, que será fecundada pelo núcleo gamético do pólen.

Na fecundação, o grão de pólen forma o tubo polínico e um dos núcleos gaméticos fecunda a oosfera, dando origem ao zigoto. O outro núcleo gamético vindo do grão de pólen participa de uma segunda fecundação, com dois núcleos isolados no centro do saco embrionário, formando uma célula triplóide, que dera origem ao endosperma, tecido que cobrirá o embrião, formando a semente. A semente continuará envolta pelo ovário, que dará origem ao fruto.


A dispersão do grão de pólen até o carpelo de outra flor é comumente realizada por insetos polinizadores, que, quando se alimentam de um néctar de uma flor, acabam levando consigo um pouco de pólen dela pra outra flor, com é possível observar na foto da abelha abaixo.

Assim, cada espécie de planta utiliza alguns polinizadores preferenciais e se adaptou para produzir flores mais chamativas e nutritivas esses determinados polinizadores, a fim de atraí-los e garantir que eles levem consigo o pólen para novas flores. Do mesmo modo, os frutos também são uma forma de dispersão das sementes e são atrativos para alguns animais que iram carregar as sementes para locais mais distantes. Existem até mesmo plantas que só germinam após a semente passar pelo trato digestivo de certo animal, interessante não?

Nenhum comentário:

Postar um comentário