Pesquisar este blog

Sistema Digestório


O sistema digestório, ou digestivo, é formado por um conjunto de órgãos relacionados à nossa alimentação. O sistema digestório é responsável pela quebra, mecânica e química, dos alimentos para a liberação de unidades menores que são absorvidas e utilizadas pelas células.

Em seres unicelulares, como bactérias, a célula é responsável por todas as funções vitais, inclusive a alimentação. Mas, conforme o tamanho dos animais pluricelulares foi aumentando, a fonte de alimento ficou mais longe de algumas das células, sendo necessário um sistema que consiga distribuir os nutrientes por todas as células do organismo. Assim, ingerimos grande quantidade de alimento, que é quebrado, ou digerido, em partes menores que são então distribuídas para todo o organismo. 

Existem dois tipos de digestão: intracelular e extracelular. A intracelular ocorre quando o alimento entra diretamente na célula e lá é digerido e utilizado. Esse tipo de digestão ocorre, por exemplo, em protozoários. Já a digestão extracelular ocorre em cavidades onde são secretadas enzimas que digerem o alimento, que posteriormente é absorvido pelas células. Esse tipo de digestão ocorre em nós, humanos, dentro de nosso tubo digestório.

O tubo digestório humano é composto por: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.




Como é possível observar na figura acima, o sistema digestório não é só formado pelo tubo digestório, mas sim também por órgãos acessórios, que são importantes na produção de substâncias necessárias a digestão dos alimentos, mas que não tem contato direto com a comida que esta sendo digerida. Como órgãos acessórios, temos o fígado e o pâncreas. 

Como ocorre a digestão dos alimentos em humanos? Primeiramente ingerimos o alimento pela boca, e nela já inicia o processo de digestão, através da quebra mecânica pelos dentes (mastigação) e química pela enzima ptialina presente na saliva. Aqui fica uma dica: quanto mais mastigamos os alimentos, menor eles ficam, sendo mais fácil para as enzimas digestivas agirem. Então se você fica com um desconforto após se alimentar, tente mastigar mais vezes o alimento, você perceberá que a digestão fica bem mais fácil!

Após a boca, a faringe encaminha o bolo alimentar para o esôfago (processo conhecido como deglutição). Nesse processo ocorre o fechamento temporário do sistema respiratório, pela movimentação da epiglote, impedindo que o alimento vá para a laringe em vez de ir para o esôfago. Mas todos nós já engasgamos justamente porque a epiglote não se mexeu a tempo e o alimento acabou indo para o caminho errado, mas com a típica tosse esse alimento é retirado e conseguimos respirar novamente. Isso acontece na maioria das vezes quando estamos realizando muitas atividades enquanto comemos, ou quando estamos comendo muito rápido, então preste atenção em comer mais devagar, com mais calma, além de mastigar mais vezes!




O esôfago encaminha o bolo alimentar até o estômago, de maneira lenta e ritmicamente, através de contrações peristálticas. Assista a animação a seguir para entender esse tipo de contração:


No estômago, o suco gástrico exerce sua ação digestiva. Composto prioritariamente por ácido clorídrico e pepsina, o suco gástrico, juntamente com a pepsina presente na boca, atua na digestão das proteínas.

Depois do estômago, o bolo alimentar vai para o intestino delgado. Já no início do intestino, região conhecida como duodeno, são secretados três sucos digestivos para finalizar a digestão dos alimentos: suco pancreático, suco entérico e bile. O suco pancreático, produzido pelo pâncreas, atua na digestão de proteínas, lipídeos, amidos e ácidos nucléicos. O suco entérico, produzido no intestino delgado, atua na digestão de açúcares, nucleotídeos e peptídeos. A bile, produzida pelo fígado, age como detergente quebrando a gordura em partículas menores, passíveis de digestão por enzimas.

Assim que os alimentos foram digeridos a seus produtos finais, estes já são absorvidos por células da parede do intestino delgado, passando diretamente para o sangue, que distribuirá esses nutrientes para todas as células do corpo. A parede do intestino delgado é toda formada de vilosidades, que aumentam a superfície de absorção dos nutrientes (veja a foto de microscopia eletrônica de varredura abaixo).


Após a passagem pelo intestino delgado, os restos alimentares são encaminhados para o intestino grosso, onde ocorre a absorção de água e sais. Atingindo o reto, o resto de alimento é então liberado pelo ânus. 

Quer saber quanto tempo os alimentos permanecem em cada órgão? Acesse a animação a seguir: 


Quer saber se já sabe tudo sobre sistema digestório? Acesse os links a seguir: 





No próximo tópico, falaremos sobre cada enzima atuante no sistema digestório, mas até lá, bons estudos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário